Odebrecht apresenta ao prefeito cronograma de obras que universaliza esgoto em Aparecida até 2019.

Posted On 11 abr 2017
By :
Comment: Off

IMAGEM - 25252Prefeito Gustavo Mendanha, secretários e técnicos da prefeitura vão até Odebrecht cobrar posição da empresa com relação ao esgotamento da cidade – o assunto tem emperrado o asfaltamento de bairros no município.  A secretária Valeria Pettersen apresentou solução paliativa para o problema. Já Ozair Jose pontuou que o desenvolvimento da cidade perpassa pela implantação da rede de esgoto pelos polos industriais da cidade, sem a qual, fica difícil atrair novas empresas devido à falta de infraestrutura.

O prefeito Gustavo Mendanha conheceu na tarde desta quarta-feira, dia 05 o andamento das obras de implantação de redes coletoras e estações de tratamento do esgotamento sanitário de Aparecida de Goiânia. A apresentação ocorreu na sede da Odebrecht no município e contou com a presença do diretor-presidente da Odebrecht Ambiental/Brooksfield, Thadeu Pinto, secretários municipais e também dos engenheiros e representantes da empresa vencedora da concessão para implantação do saneamento básico na cidade.

Gustavo destacou a reunião como importante, pois segundo ele ao se ter conhecimento do cronograma de execução de obras da empresa, a prefeitura poderá adequar da melhor maneira os projetos de infraestrutura na cidade. “Para a liberação de verbas para a pavimentação é preciso que a rua tenha os dois benefícios de saneamento, que são a água tratada e o esgoto. Ao ter conhecimento do cronograma da Odebrecht podemos alinhar os nossos projetos para melhor atender a população de Aparecida”, disse o prefeito ao final da apresentação.

De acordo com o diretor-presidente, Thadeu Pinto, a universalização do esgoto em Aparecida será concluída em 2019. “Ao todo serão investidos, tanto na construção de redes coletoras interceptores, linhas de recalque, estações elevatórias e conclusão da ETE Santo Antônio e outras três Estações de Tratamento, cerca de R$ 600 milhões. Nesses pouco mais de dois anos de operação, investimos mais de R$ 100 milhões. Assim, até 2019 teremos de 90% dos municípios que tem rede de água tratada também beneficiados com rede de esgoto”.

MULHER LOIRAA secretária de Projetos e Captação de Recursos, Valéria Pettersen esteve presente na reunião e destacou que conseguiu retirar junto ao Ministério das Cidades, a obrigatoriedade da rede de esgoto para liberação de recursos de pavimentação. “Os projetos de asfalto terão que deixar os espaços para a implantação das redes de esgoto, assim não teremos o problema de quebra de calçada. Nos casos de cruzamento de ruas, também será elaborado um meio de não danificar a pavimentação durante o processo de implantação do esgoto”.

OZAIR 025780O secretário Ozair José pontuou também que o desenvolvimento da cidade depende do saneamento. “Hoje Aparecida está se verticalizando, mas esses condomínios verticais precisam das redes de esgoto para iniciar seus projetos e a falta dela barra a continuidade do crescimento do município que a cada dia atrai mais empresas e moradores. Por isso aguardamos ansiosos pela execução e finalização dos serviços de saneamento e assim melhorar a qualidade de vida dos moradores atuais e promover ainda mais o desenvolvimento de nossa cidade”.

Universalização

Para universalizar o serviço é preciso implantar 1,920 mil km de redes coletoras; 121.200 ramais de ligação; 80 km de interceptores e coletores; 8 km de linhas de recalque; 11 estações elevatórias; ampliação da ETE Lages; construção das ETEs Parque das Nações, Santo Antônio e Dourados; e desativação da ETE Cruzeiro, no setor Maria Inês. Com a conclusão do serviço pela Odebrecht/Brooksfield, mais de 350 mil habitantes contarão com saneamento básico no município em dois anos.

“Para 2017 estão previstos investimentos em obras de esgotamento sanitário no valor de R$ 88 milhões e 2018 e 2019 a previsão é de investir R$ 180 milhões e R$ 160 milhões respectivamente. Hoje temos 34% de rede de esgoto comparado com os 67% de água e para este ano já iniciamos as obras das linhas da bacia do Tamanduá já entrando no Papillon Park e finalizando, em meados de 2018, com a implantação das redes de coleta no setor Garavelo”, salientou o engenheiro da empresa, Rodrigo Lacerda.

Presenças – A reunião contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Urbano, Max Menezes; do superintendente de engenharia da Secretaria de Infraestrutura de Aparecida, engenheiro Roberto Lemes; dos membros do departamento de Operações e Manutenção da Odebrecht, Marcos Henrique, Edivan Tobias e Débora Muniz; e da representante da área de Administração Contratual, Anna Cláudia Pereira.

                                                                                         Fonte: Daniela Ribeiro

Foto: Claudivino Antunes

About the Author